Siga-nos:

Para que o seu Deck fique realmente bem instalado e BONITO, segue os meus conselhos:

1° Espaçamento de 40 em 40 cm entre os montantes (peças em que o deck será fixado). Detalhe, essa distância é entre eixos das peças!!!

2° Fixação do Deck: Aconselhamos a fixação com Cola PUR e pino T de 40 ou 45 mm (2 a 3 pinos dependendo da largura). O pino faz o papel de dar a fixação inicial, e a cola é de altíssima resistência. É ela que garante a estabilidade da peça ao longo dos anos. O pino é muito melhor que pregos ou parafusos porque ele é muito fino e quase não aparece.

3º Massa de Calafetar: Use a massa de calafetar Pu. A tradicional F12 ou qualquer massa de calafetar acrílica NÃO AGUENTA ÁREA EXTERNA

4° Verniz: Verniz com cor é um assassinato ao material, é praticamente o mesmo que pintar a madeira. Eu aconselho o Polisten Deck, pois a sua manutenção é bem mais fácil e é um verniz que valoriza o aspecto natural da madeira. Temos também o Polideck que é mais resistente, mas a sua manutenção é mais “sofrida” pois exige uma raspagem.

Enfim, isso são conselhos que nosso supervisor que é viciado em qualidade nos obriga a passar para todos nossos clientes. Ele é detalhista e acredita que cada detalhe é importante para a felicidade do cliente. 

Para ter um projeto com excelência na qualidade, deixamos aqui dicas essenciais para a instalação dos assoalhos (também conhecido como tabua corrida).1° Certifique-se que o piso onde será instalado (contrapiso) esteja nivelado. É importante levar em consideração o estado que o contrapiso está e de qual material ele é feito para evitar futuras dores de cabeça.

2° NÃO INSTALAR o piso caso o contrapiso não estiver completamente seco e curado( umidade abaixo de 35%).

3° Caso seja piso térreo, o contrapiso deverá ser impermeabilizado para que as peças de madeira não tenham contato com umidade. Se a madeira ficar em contato com umidade ela pode envergar.

4° A fixação pode ser feita com cola taco PU, buchas e cavilhas ou barrotes!BARROTE: É a estrutura fixada no contrapiso com pregos ou parafusos para sustentação do assoalho. Pode serem usados granzepes, caibros, barrote ou viga. É a opção de instalação mais recomendada. Não tem limite de comprimento máximo de peças. A instalação é feita da seguinte forma: É chumbado junto ao contrapiso barrotes (De preferência em formato de trapézio com 2cm de altura) em paralelo um com os outros com uma distância de 40cm entre os seus eixos no sentido oposto do assoalho. O espaçamento de 40cm é essencial para evitar problemas futuros devido a movimentação natural da madeira. Dessa forma o parafuso pode ser fixado no macho do assoalho num ângulo + ou – de 60º escondendo-o junto ao macho, a próxima peça com a fêmea é fixada no macho deixando os dois lados do assoalho firme, deixando assim um acabamento sem marcas de pregos ou parafusos. Esse modo só pode ser feito se o contrapiso estiver na fase inicial e não foi acertada a altura entre o teto e o chão, pois contando o barrote junto ao assoalho teremos + ou – 4cm de espessura. COLA PU: indicado apenas para peças de até 1m de comprimento. Recomendamos o Adesivo PU bicomponente. A aplicação da cola é feita diretamente no contrapiso com auxílio de uma espátula, logo após a cola ser misturada com o catalisador. As peças do assoalho devem serem colocadas em seguida.BUCHAS E CAVILHAS: Esse tipo de instalação é feito no momento em que o contrapiso já está pronto. Coloca-se 2 parafusos um do lado do outro a cada 40cm no comprimento da peça e o parafuso é escondido com o tapa furo (cavilhas) da mesma madeira. Primeiro fura-se a madeira até chegar no contra, a bucha é fixada dentro do contrapiso, um parafuso fica entre a bucha e o assoalho, cuidando para a cabeça do parafuso ficar 1cm abaixo da superfície da madeira, pois a cavilha tem 1cm de espessura, o diâmetro da cavilha tem que ser no máximo de 12mm.

5° Após a instalação das réguas de assoalho, aguardar 30 dias para a madeira climatizar umidade do ambiente. Deixe um espaço de + ou – 1,5cm entre o assoalho e a parede pois a madeira trabalha (dilata e contrai) e esse espaçamento é o que evitar que ela empene ou contorça. Quando a madeira já estiver climatizada, aplique massa de calafetar por todas as fendas. Lembre-se de lixar onde foi calafetado antes de envernizar, evitando assim que sua madeira fique toda manchada.

6° Dê preferência as massas de calafetar PU! Elas acompanham a dilatação e contração da madeira, permanecendo uniforme sem rachaduras. Já a tradicional F12 (ou qualquer outra acrílica) não acompanham o movimento natural da madeira o que fazem elas racharem com o tempo.

7° Aplicação de verniz: Cada verniz pode deixar a madeira com um tom diferente, mesmo sendo um verniz “transparente” ou “Natural”. Para um melhor resultado, aplique o verniz em uma pequena parte nas costas de uma das peças antes de instalar e veja se a cor final que a madeira vai ficar é o tom perfeito para você. Lembre-se de levar a em consideração as necessidades do seu projeto! Se vai ficar exposto ao sol e a chuva, se vai ter muito contato com umidade, se é um ambiente externo ou interno, se necessita de acabamento natural etc. Tudo isso interfere diretamente em qual verniz utilizar. Para pisos em área Interna, recomendamos o Sinteco Varathane.

Dicas de Instalação de Tacos de Madeira:




As regras do contrapiso para Taco são as mesmas do assoalho! Certifique – se que esteja liso, nivelado e com cura total (umidade inferior a 35%). Caso o contrapiso seja no térreo, impermeabilize-o antes de instalar os Tacos.

Recomendamos a fixação com Adesivo PU para pisos (famosa cola taco), ele é de fácil aplicação e não a necessidade de aplicar direto no cimento em processo de secagem como era feito antigamente. A fixação com adesivo PU para Pisos é a forma mais adequada de instalação de tacos de madeira nos dias atuais.

Uma outra forma de fixação é utilizando pregos 15×15 vulgo asa de mosca. Este prego tem formato de “L”, geralmente utilizado em cimento fresco para fixar as peças de taco no chão. É uma forma de fixação mais arcaica, mas ainda é utilizada nos dias atuais.

 Utilize massa de calafetar apenas 30 dias depois de ter instalados os tacos! Dessa forma a madeira já vai ter climatizado em relação a umidade ambiente.  Após a massa de calafeto secar, lixe a superfície onde foi calafetada para evitar que as peças fiquem todas manchadas na hora de envernizar.

Em ambientes internos você pode usar tanto a massa de calafeto F12 (ou outra massa de calafetar acrílica) quanto uma massa de calafetar PU. Recomendamos a massa de calafeto PU pois, ao contrário das massas acrílicas, a massa PU acompanha a movimentação da madeira, permanecendo uniforme mesmo com as dilatações e contrações naturais da madeira. Já a massa acrílica não tem essa elasticidade para acompanhar a madeira e com o tempo acaba trincando, consequentemente acumulando resíduos, ficando vulnerável a infiltração de agua e outras impurezas.


Cada verniz pode deixar a madeira com um tom diferente, mesmo sendo um verniz “transparente” ou “Natural”. Para um melhor resultado, aplique o verniz em uma pequena parte nas costas de uma das peças antes de instalar e veja se a cor final que a madeira vai ficar é o tom perfeito para você. Lembre-se de levar a em consideração as necessidades do seu projeto! Se vai ficar exposto ao sol e a chuva, se vai ter muito contato com umidade, se é um ambiente externo ou interno, se necessita de acabamento natural etc. Tudo isso interfere diretamente em qual verniz utilizar.  Para pisos em área Interna, recomendamos o Sinteco Varathane.


Essa é a receita do bolo para que que você tenha em seu projeto uma finalização incrível e o conforto que só a madeira de verdade tem.

  1. Planeje antes de começar: Antes de começar a instalação do forro de madeira, planeje cuidadosamente o projeto para que você possa dimensionar a quantidade de materiais necessários e ter uma ideia clara de como será o resultado final.

 

  1. Escolha o tipo de madeira: Existem várias opções de madeira para forro, desde madeiras nobres como a peroba, Cumaru e o ipê, até madeiras mais econômicas como o pinus. Para uma seleção adequada, leve em consideração se o forro vai ficar em área interna ou externa, se vai ficar exposto a intempéries climáticos (sol, chuva, umidade). Com essas informações é possível saber quais materiais são adequados ou não para o seu projeto!
  2. Prepare a superfície: Verifique se a superfície onde o forro será instalado está limpa, seca e nivelada. Qualquer irregularidade pode afetar a instalação e a aparência do resultado final.

 

  1. Use uma serra adequada: Para evitar lascas e cortes empenados, use uma serra circular adequada para madeira com uma lâmina de dentes finos.

 

  1. Envernize antes da instalação: Se você for pintar ou envernizar o forro, faça antes da instalação. O verniz não é apenas uma cobertura estética, mas também uma proteção para a madeira, o lado que não está visível fica suscetível aos problemas não vistos no cotidiano como: goteiras, umidade e insetos. Ao envernizar devidamente os dois lados da peça, você estará garantindo uma melhor qualidade da instalação e aumentando a vida útil do seu material.

    6. Madeiras de qualidade rajada também conhecidas como comerciais ou de Segunda qualidade e madeiras macias ou com baixa resistência a insetos é fundamental que envernize os 2 lados do forro, isto por que, quando você só projete o lado de fora destas madeiras, elas ficam desprotegidas necessitando de um reparo constante.

 

 

  1. Não economize na qualidade dos pregos! Procure utilizar pregos galvanizados. Pregos comuns oxidam e enferrujam com o tempo isto acaba macheando e enegrecendo a madeira. Já o os pregos galvanizados mantem a estética natural da madeira, deixando um acabamento profissional e “novo” por muito mais tempo.

 

  1. Deixe a madeira descansar: Deixe a madeira descansar por cerca de uma semana antes da instalação para que ela possa se adaptar à umidade do ambiente.

 

  1. Fixe a madeira com cuidado: Ao fixar o forro, faça isso cuidadosamente para evitar lascas e cortes empenados. Use pregos ou uso de pinado pneumático.

 

  1. Limpe e mantenha: Certifique-se de limpar regularmente o forro de madeira com um pano úmido para remover a poeira e a sujeira. Além disso, verifique se necessário a reaplicação de verniz ou tinta ao longo do tempo, para manter a beleza e a durabilidade do seu forro.

    PROBLEMAS COMUNS QUE PODEM SER EVITADOS :

    1. Economizar nas ferramentas: Usar ferramentas de qualidade inferior pode atrapalhar a instalação e prejudicar o resultado final. É importante utilizar ferramentas apropriadas para a instalação de forros.

 

  1. instalação em ambientes úmidos: Evite instalar o forro de madeira em ambientes úmidos ou com alta exposição à umidade, como banheiros e cozinhas. Caso o faça, recomenda-se utilizar madeiras consideráveis de uso para “ambiente externo” pois elas terão uma maior resistência. Madeiras macias de baixas resistência tendem a empenar e apodrecer com mais facilidade em ambientes úmidos.

 

  1. Empenamentos e rachaduras: É importante deixar uma folga entre as peças de madeira para permitir a dilatação térmica da madeira, evitando assim o empenamento ou rachaduras.

 

  1. Não nivelar a superfície: Caso a superfície onde será instalado o forro esteja desnivelada, isso pode causar desníveis nas peças de madeira, prejudicando assim o resultado final.

 

  1. Não deixar espaço para ventilação: Certifique-se de que haja espaço suficiente para ventilação entre o forro de madeira e o teto, pois isso pode ajudar a prevenir a formação de mofo e o acúmulo de umidade.

 

  1. Não fixar corretamente: Não fixar adequadamente as peças de madeira pode acabar em deslocamento das peças, prejudicando parcialmente ou completamente o forro já instalado.
  2. Má armazenagem. Armazena o material de maneira inadequada, principalmente forros de madeira macia ou rajada (Estes geralmente tem uma  baixa ou nenhuma resistência a insetos, mofos e umidade). Isto porque da mesma forma que elas precisam de cuidado e atenção quando instaladas, elas também precisam deste mesmo cuidado quando armazenadas. Se ficarem no tempo, se não forem utilizados produtos que protejam de inseto e umidade, você pode perder o investimento feito por conta de  negligência ao armazenar.

 

  1. Não escolher uma madeira adequada para a sua demanda: Utilizar madeiras não apropriadas para o seu projeto pode resultar em deformações, queda por conta de excesso de peso, cupim e até mesmo rachaduras.

 

  1. Não ter cuidado com a instalação de luminárias: Não instale luminárias diretamente no forro de madeira, pois isso pode gerar pontos de superaquecimento e até mesmo causar um incêndio. É importante instalar os lustres utilizando um suporte adequado.

Em breve mais informações…
Entre em contato para informações.

Constantemente produzimos materiais informativos para nossos clientes afim de ajudá-los em seus projetos. Estes são alguns dos canais que a Macal Madeiras disponibiliza esses materiais gratuitamente.

  • Visite o nosso canal no YouTube para descobrir mais sobre o fantástico universo das madeiras;
  • Ligue para  0800 606 8143 e fale diretamente com um de nossos especialistas;
  • Diariamente colocamos novos conteúdos nas nossas redes sociais. Visite nosso InstagramFacebook e Twitter.